Amor incondicional e a racionalidade – A capacidade de sentir e entender dos animais

Olá queridos, boa noite!

Após assistir um belo vídeo no Facebook sobre a capacidade de comunicação dos animais, resolvi elaborar um breve texto para reflexão sobre o tema:

Analisando adequadamente a existência de cada ser vivo, chegamos a conclusão que o homem não está sozinho no mundo e que a racionalidade não se limita a sua espécie.

“Crianças e pinguins têm interesses, isso é inegável. Crianças têm interesses em brincar, conviver pacificamente entre seus membros; pinguins também o têm: não querem sentir dor, não desejam piche dos navios petroleiros em seus corpos. Entre construir laboratórios para atender os interesses dos pingüins e construir creches e escolas para as crianças quando as verbas públicas são escassas, tende-se a dar prioridade às crianças. Mas, dar prioridade, não significa, na perspectiva de Singer, que se deve conferir menor status moral aos não humanos, e que não se deve atender seus interesses” (Mendes, V. A. (2004). A igualdade e as implicações do problema de Singer.)

Quando nos referimos a senciência dos animais, queremos dizer que estes possuem a capacidade de sentir, seja dor, frio, calor, além de ter sensações, como ódio, amor e alegria.

Dentro de cada espécie de animais existe a sua respectiva racionalidade, se comparando, muitas vezes, com as reações dos próprios seres humanos, distinguindo-se apenas na questão da fala.

Já está mais do que comprovada a capacidade de entender e de sentir dos animais! É obrigação da sociedade proteger aqueles que sozinhos, não conseguem se expressar e se defender do mal.